quarta-feira, 28 de abril de 2010

Eu e a indiferença

De repente, um punhado de páginas me move do chão.
Linhas desconsertantes me fazem pensar em coisas que me eram estranhas, quase nulas.

Seria a vida uma simples banalidade, a qual damos demasiada importância?
Seria a existência tão vazia de sentido,a ponto de nos causar desespero e nos fazer buscar motivos, valores, densidade e eternidade para algo que, na verdade, é efêmero e incompreensível?

Seria eu estrangeira também? Creio, somos todos nós.
Estrangeiros. Estranhos. Diferentes, a princípio. Indiferentes, sempre.

***

"Como se essa grande cólera me tivesse purificado do mal, esvaziando-me de esperança, diante dessa noite carregada de sinais e de estrelas, eu me abria pela primeira vez à terna indiferença do mundo. Por senti-lo tão parecido comigo, tão fraternal, enfim, senti que fora feliz e que ainda o era."
(O Estrangeiro - Albert Camus)

6 comentários:

Anisulle disse...

"O estrangeiro": um jeito André Chaves de ser!

hehehhe

Que ele não leia isso!

Sophia Christian disse...

O que é ser estranho?

Quero ler este livro...!


E tentar descobrir talvez a beleza de ser tão diferente... tão indiferente e ao mesmo tempo tão feliz... que a contrariedade que há em nós possa nos dizer quem somos de verdade, sem máscaras socias...!



Você é demais... Adoreiii...!


Sophia Christian disse...

É um jeito Chaves de ser???


Nossa ele é um estrangeiro..? Eu pensei que ele fosse paulista... Mas será que ele veio de onde? kkkkk!


Que ele nunca veja issOOOO..! (risos)



Mas é verdade! Falando sério, todos nós somos estrangeiros... e a cada dia estamos em busca de nos descobrimos nessa estranheza que é o mundo...!


Nayara Maia disse...

Deixo claro que as opiniões aqui expressas são de TOTAL responsabilidade dos seus autores!
Hahahaha!

SETT VÍDEO LOCADORA disse...

Olá! Boa Noite, querida Amiga!
Que belíssimo versejar, tais palavras nos invade o íntimo fazendo-nos refletir a presença triunfal da Vida. Show de leitura!
Ah! Parabéns pelo Blog Lindo. Você é muito criativa e esmera em tudo que faz, retratando a sua sensibilidade e alegria de escrever.
Saudações e Beijos.

Marcos Mendes

LiLi disse...

Esse livro é inesquecível e intrigante.
Espero reler sempre.