sexta-feira, 16 de julho de 2010

Da particularidade de cada estrada




Não há como fugir:
haverá um dia em que você vai parar
e pensar no caminho que traçou;
pensar e procurar
motivos, justificativas, desculpas,
sua absolvição, ou sua culpa.
Vai procurar e questionar,
e enumerar todos os 'se' que puder;
se um tanto de coisas...
onde, com quem e como estaria agora?
Mesmo quem quer,
não pode fugir dessa hora.

Dessa vez eu não quis fugir,
não fugi;
pude então, pela primeira vez,
me sentar num alto e privilegiado lugar
que poucos alcançam, ou se dão conta
de terem alcançado;
de lá, percebo que estou onde, com quem e como
deveria estar;

sou quem sempre desejei ser,
mesmo quando ainda nem sabia disso.

2 comentários:

aluisio martins disse...

inspiradoras palavras. dão asas, emprestam belezas, nutrem coragem...

Daniel Savio disse...

Bonito, mas isto demonstra que todas as escolhas foram as melhores possiveis...

Fique com Deus, menina Nayara Maia.
Um abraço.